Notícia

21 de Setembro, 2018

Papa: a misericórdia é o caminho para o coração de Deus

"Entender a misericórdia do Senhor é um mistério; mas o maior mistério, o mais belo, é o coração de Deus", disse Francisco na homilia desta sexta-feira (21)

O Papa Francisco, na missa desta sexta-feira (21), na Casa Santa Marta, refletiu sobre a liturgia de hoje que relata sobre Mateus, o escolhido por Deus e instituído apóstolo segundo o seu desenho de misericórdia. O Santo Padre destacou três expressões aos fiéis presentes: desenho de misericórdia, escolher, instituir.

A reflexão desta manhã consistiu em ressaltar a misericórdia de Cristo. Como destacou Francisco, Mateus era um corrupto porque traia a pátria por dinheiro. Um traidor do seu povo: o pior. O Papa disse que alguém pode dizer que Jesus não tem bom gosto para escolher as pessoas, porque, além de Mateus, Ele escolheu muitos outros pegando-os do lugar mais desprezado, como a Samaritana e muitos outros pecadores, e os fez apóstolos. “E depois, na vida da Igreja, muitos cristãos, muitos santos que foram escolhidos do mais raso...Esta consciência de que nós cristãos deveríamos ter, de onde fui escolhido, de onde fui escolhida para ser cristão, deve durar toda a vida, permanecer ali e ter a memória dos nossos pecados, a memória que o Senhor teve misericórdia dos meus pecados e me escolheu para ser cristão, para ser apóstolo”, disse o Papa.

A humildade no serviço

Durante a Celebração, o Papa descreveu a reação de Mateus ao chamado do Senhor, dizendo que ele não se vestiu de luxo, não começou a dizer aos outros: ‘eu sou o príncipe dos Apóstolos, aqui eu comando’. Pelo contrário, trabalhou toda a vida pelo Evangelho.

O Papa explica que, quando o Apóstolo esquece as suas origens e começa a fazer carreira, se afasta do Senhor e se torna um funcionário, trabalha muito bem, mas não é Apóstolo. Será incapaz de transmitir Jesus. “Será um organizador de planos pastorais, de tantas coisas; mas, no final, um negociante. Um negociante do Reino de Deus, porque esquece de onde foi escolhido, apontou o Papa”, prosseguiu Francisco, ao citar que é importante a memória das nossas origens. “Esta memória deve acompanhar a vida do Apóstolo e de todo cristão”.

Falta de generosidade

O Papa sugeriu que, ao invés de olhar para si mesmo, porém, todo cristão é levado a olhar os outros, seus pecados e a falar mal deles. Um costume que envenena. É melhor falar mal de si próprio, e recordar de onde o Senhor nos escolheu, trazendo-nos até aqui.

Acrescentou o Pontífice em sua homilia que o Senhor quando escolhe uma pessoa, escolhe para algo maior. “Ser cristão é algo grande, belo. Somos nós que nos afastamos e ficamos na metade do caminho. A nós falta a generosidade e negociamos com o Senhor, mas Ele nos espera. Mateus é um exemplo de seguidor fiel à Cristo, renunciou ao seu amor, ao dinheiro, para seguir Jesus”, pontuou.

Jesus quer misericórdia e não sacrifício

Francisco relembrou ainda o momento de quando Mateus convidou os amigos do seu grupo para almoçar com ele para festejar o Mestre. Assim, naquela mesa se sentava “o que havia de pior naquele tempo. E Jesus estava com eles”. O Pontífice enfatizou sobre o inconformismo dos doutores da Lei, que se escandalizaram por não entenderem da misericórdia de Deus, e que diziam aos discípulos ‘Mas como é possível que seu Mestre faça isso, com essas pessoas? Mas, se torna impuro!’: comer com um impuro é se contaminar com a impureza, não é mais puro. ‘Jesus toma a palavra e diz esta terceira expressão: “Vão aprender o que significa ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. A misericórdia de Deus procura todo mundo, perdoa a todos. Pede somente que diga: ‘Sim, ajude-me’. Só isso”, relatou o Papa.

O Santo Padre informou aos cristãos presentes, que a resposta de Jesus para àqueles que escandalizam com os seus atos de misericórdia, quando disse ‘Não são as pessoas que não têm saúde que precisam de médico, mas os doentes. Quero misericórdia e não sacrifício’, implica em entender a misericórdia do Senhor “É um mistério; mas o maior mistério, o mais belo, é o coração de Deus. Se quiser realmente chegar ao coração de Deus, siga o caminho da misericórdia, e se deixe tratar com misericórdia”, concluiu o Papa.


Fonte: Amex, com Vatican News


comments powered by Disqus

Contato

Mensagem enviada com sucesso! Aguarde que entraremos em contato.

Erro ao enviar a mensagem, tente novamente.